Faça sua pesquisa aqui

Categoria: WinISIS

015 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. BUXTON, Andrew; Hopkinson, Alan. The CDS/ISIS for Windows handbook. Paris: UNESCO, 2001. 164p.
  1. CATTELAN, Paulo. Curso básico de winisis. Porto Alegre: Control Informação e Documentação, 2000. 43p.
  1. _______________. Curso intermediário de winisis. Porto Alegre: Control Informação e Documentação, [s.d.]. 41p.
  1. CDS/ISIS for Windows: reference manual (version 1.0). [s.l.]:UNESCO, 1997.
  1. GUZZO, Cláudia Hofart. Curso winisis operacional: como realizar entrada de dados, pesquisas e impressão de relatórios. Porto Alegre: Control, 2001. 34p.
  1. ­_______________. Workshop upgrade para Winisis 1.5 build 19: explorando os novos recursos do sistema. Porto Alegre: Control Informação e Documentação, 2002. 19p.
  1. MANUAL de referência Mini/Micro CDS/ISIS (versão 2.3). Brasília: IBICTI, 1991. 343p.
  1. NOWICKI, Zbigniew M. Manual para el usuario del winISIS, versión 1.4. Ciudad de La Habana: International Trade Center, 2001. 104p.
  1. MANUAL para instructores de Winisis. Buenos Aires:CNEA, 1999. 2v.

014 Configuração De Menus e Mensagens

A flexibilidade de configuração é uma das grandes vantagens oferecida pelos softwares da famiília CDS/Isis, e isto não poderia ser diferente no caso do Winisis.

Além das alterações produzidas pelos parâmetros do Syspar.par, é possível ainda customizar completamente as opções de menu a serem oferecidas aos usuários, bem como re-escrever completamente os rótulos dos menus e os textos das mensagens.

Os textos exibidos pelo Winisis são armazenados em 2 bases CDS/Isis distintas, uma para os menus e outra para as mensagens.

Menus

Os menus estão armazenados em várias bases de dados (uma para cada perfil ou idioma) e sua localização é determinada pelo parâmetro 2 do Syspar.par - normalmente\winisis\menu.

O nome da base de menu é formado pela combinação das letras MN (menu), o código de língua (ex. BR, Brasil) e o código de perfil (ex.: DF, total e SH, somente leitura).

Exemplo: MNENDF é o menu (MN) em inglês (EN) de acesso total (DF).

Customização de menus

A forma mais simples de criar uma base de menu é copiando todos os arquivos de outra, previamente existente, renomeando-a de acordo com as regras de nomenclatura e procedendo as edições necessárias.

A estrutura de cada registro é muito simples: possui uma série de campos não repetitivos nos quais um texto é inserido. Cada um dos textos possui um código entre colchetes que não deve ser alterado – estes valor indica ao Winisis qual ação que deve ser realizada ao ativar determinado comando. O administrador pode modificar os textos, deletar registros e campos desejados.

Base Menu

  • Teclas de acesso rápido

Como em todas as aplicações para Windows, os comandos dos menus também podem ser ativados através do teclado (ALT+LETRA INDICATIVA). Para indicar ao usuário qual a tecla que deve ser utilizada, a letra vem sublinhada no menu. A forma de realizar este comando é antepondo à letra o símbolo &.

  • Comandos afins

É interessante a separação de alguns grupos de comandos dentro de um mesmo menu. Para isto, coloca-se um hífen entre colchetes como conteúdo do campo que os separa. Quando CDS/ISIS encontra estes símbolos, traça uma linha horizontal no menu.

Divisão do menu em grupos afins

Mensagens

As mensagens estão armazenadas em várias bases de dados (uma para cada perfil ou idioma) e sua localização é determinada pelo parâmetro 3 do Syspar.par - normalmente\winisis\msg.

Os nomes destas bases são formados por MS (mensagem) e o código das letras do idioma (ex.: EN, inglês).

Exemplo: MSIT: será o nome da base de mensagens em italiano.

As mensagens podem ser modificadas e traduzidas, mas não eliminadas. Algumas precauções devem ser tomadas em relação ao idioma original do Winisis: as frases em inglês são mais curtas que as línguas latinas, por isso às vezes uma mensagem pode não caber no espaço destinado a ela. Por isso devem ser usadas palavras curtas na tradução.

Para a criação de uma base em outro idioma é possível seguir o procedimento de cópia proposto para os menus.

Estrutura da base

A FDT da base determina dez campos por registro. O primeiro campo do registro 1 contém o nome do idioma que corresponde ao código de língua usado. É assim que Winisis reconhece qual o nome do idioma que pertence ao código utilizado. Este nome será exibido em um quadro de opções ao selecionar Configurar/Trocar Idioma.

Trocando o idioma

Na base mensagem , logo depois do idioma aparece [NAME] que não deve ser alterado:

Base Mensagem

Os textos que possuírem execução de uma ação através do teclado também devem apresentar um & precedendo a letra. Para cada termo deve ser escolhida uma letra diferente, pois numa mesma caixa de diálogo podem aparecer vários botões que iniciem pela mesma letra.

013 Configuração Do Ambiente Multiusuário

Winisis implenta controles para edição multi-usuáriom podendo ser instalado de duas maneiras distintas:

  1. apenas uma cópia do software no servidor, compartilhada pelos usuários; ou
  2. em cada estação de trabalho, mas compartilhando uma única base no servidor.

A primeira opção geralmente é a mais adotada, pois todos os usuários terão automaticamente acesso ao Winisis. Em ambos os casos, é necessário adotar certos requisitos para uma correta execução do programa.

  • configure os parâmetros de acesso dos usuários aos arquivos e diretórios;
  • garanta que cada usuário tenha seu próprio diretório de arquivos temporários (definido no parâmetro 4 do syspar.par).
    Por exemplo:
    4=c:\temp\ assegura que cada usuário utilizará o diretório temp de sua máquina

  • defina o parâmetro 14 do syspar.par como 1 ou 2, e, se necessário, o parâmetro 0 do dbn.par de cada base.
  • Ajuste os parâmetros 1, 2,3 e 5 de acordo com o caminho da instalação feita no servidor. Winisis exige que a máquina local possua o diretório onde está instalado Winisis mapeado. A omissão da letra do mapeamento permite que seja utilizada a letra corrente de cada máquina:

1=\winisis\prog\

2=\winisis\menu\

3=\winisis\msg\

4=c:\temp\

5=\winisis\data\

No exemplo acima, Winisis será executado, na máquina local, a partir de um mapeamento previamente realizado para o diretório \winisis do servidor. O arquivo executável é o wisis.exe e o syspar.par deve ficar armazenado na mesma pasta que ele.

012.3 Perfis.par

Com o fim de limitar o acesso a algumas funções potencialmente perigosas em mãos inexperientes, Winisis permite o estabelecimento de níveis de acesso por usuário.

Cabe ao administrador da base definir perfis de acordo com o papel de cada usuário.

Restrições de acesso à base de dados

Diversos mecanismos podem ser utilizados para restringir o acesso dos usuários a bases de dados específicas.

A aplicação do parâmetro 125=1 do sistema faz com que o usuário não possa abrir uma base mediante o uso de uma caixa de diálogo Abrir Arquivo, nesta caixa o usuário pode selecionar qualquer base de dados, mas tem que selecionar somente uma base da lista. Esta lista é definida pelos parâmetros 1001 a 1005 do syspar.par ou do dbn.par. Coloque o nome da base, seguido por três asteriscos e o nome que a base terá na visualização.

1001=Monografias***Base bibliográfica

Quando você clicar no botão , a caixa contendo a lista de bases, com suas respectivas descrições será exibida:

Restringindo acesso a bases de dados

Controlando o acesso à edição de dados

Para remover o acesso à edição, no menu Configuração/Trocar perfil, selecionar a opção Versão somente pesquisa. As funções Editar e Utilitários são suprimidas do menu principal. Quando o Winisis é encerrado e aberto novamente, a versão completa volta a ser default. Para tornar o acesso restrito permanente, edite o syspar.par ou odbn.par no parâmetro 102 e determine: 102=SH (para o menu sem edição – short menu). Para o menu ficar completo, defina 102=DF (default – edição completa).

Os dois tipos de exibição de menus podem ser configurados num mesmo sistema usando senhas:

Crie um arquivo interno.par em uma linha:

102=DF

Crie um arquivo consulta.par em outra linha:

102=SH

Adicione um linha no arquivo syspar.par:

0=!Digite sua senha

Ao acessar o Winisis, uma mensagem será emitida solicitando a senha. Basta digitar interno ou consulta e clicar em OK.

Você também pode usar senhas para diferentes usuários. Como por exemplo uma senha para a seção de aquisição aqui e outra para a seção de marketing mark:

O arquivo aqui.par inclui:

102=SH

6=aqui

O arquivo mark.par inclui:

102=SH

6=mark

012.2 Dbn.par

Os arquivos que compõem uma base de dados ISIS podem ser armazenados em um mesmo diretório ou em diretórios diferentes. Neste último caso, deve-se indicar o caminho a cada um deles através do arquivo dbn.par , onde dbn é o nome da base de dados (ex.: LIVRO.PAR). Estes arquivos possuem formato ASCII, e podem ser criados com qualquer editor de texto. Os dbn.PAR devem ficar localizados no diretório indicado no parâmetro 5 do SYSPAR.PAR.

Ao executar a ação de Abrir Base, Winisis busca no caminho indicado pelo parâmetro 5 do Syspar.par a existência de um arquivo dbn.PAR. Se existe, abre a base tomando como referência os novos caminhos determinados ali, em caso contrário, conclui que os arquivos no diretório indicado no parâmetro 5 do Syspar.par.

Um arquivo dbn.PAR possui o mesmo formato que o especificado para o Syspar.par:

Número do parâmetro=[drive:]\caminho\

Note que a indicação do drive é opcional, mas a barra ao final do caminho é obrigatória.

A tabela mostra a totalidade dos parâmetros que pode ser encontrada em um dbn.PAR:

Parâmetro

Extensão dos arquivos

1

.XRF

2

.MST

3

.CNT

4

.N01

5

.N02

6

.L01

7

.L02

8

.IFP

9

.ANY

10

.FDT, .FST, .PFT, .STW, .SRT

Não é necessário inserir todos os arquivos no dbn.PAR. Caso se omita algum deles, Winisis buscará o arquivo associado ao caminho indicado no parâmetro 5 do syspar.par.

012.1 Syspar.par

O arquivo SYSPAR.PAR contém os parâmetros de sistema necessários ao funcionamento do Winisis. Ele é lido automaticamente cada vez que o software é ativado e pode ser usado para sobrescrever valores default utilizados pelo sistema.

Quando o Winisis é instalado, o programa de instalação cria um arquivo SYSPAR.PARcom os parâmetros fornecidos pelo usuário.

Embora a versão Windows tenha incorporado uma série de novos comandos, os parâmetros de 1 a 8 são idênticos aos da versão DOS.

SYSPAR.PAR é um arquivo texto que pode ser editado com qualquer editor de texto, como por exemplo o Bloco de Notas (Notepad).

Cada parâmetro começa em uma nova linha (a ordem dos parâmetros não é importante) e tem o seguinte formato genérico:

n=valor

onde:

n é o número do parâmetro (ver abaixo);

valor é o valor correspondente.

Valor deve estar junto ao sinal de igualdade (um espaço em branco após o sinal de igual será interpretado como sendo parte do valor). Quando valor consistir em um nome de diretório, este será concatenado com o nome do arquivo CDS/Isis correspondente de modo a completar a especificação do parâmetro. A indicação do drive é opcional, mas o nome do diretório deve ser terminado por uma contra-barra (‘\’), caso contrário será gerado um nome de arquivo inválido. Por exemplo:

2=\winisis\menu\

Parâmetros ausentes ou assinalados com valor nulo (em branco), serão preenchidos com os valores defaults do sistema. SYSPAR.PAR necessita conter apenas aqueles parâmetros que o usuário deseja modificar. Estes parâmetros podem ser fornecidos em qualquer ordem. Somente os parâmetros de 1 a 5 são normalmente requeridos, enquanto outros parâmetros podem ser utilizados para alterar o comportamento do software, mas não são essenciais.

É possível inserir linhas de comentário (as quais são ignoradas pelo Winisis) digitando um ponto e vírgula (;) no início de cada linha. Por exemplo:

; fixa base de dados default

Assistente de configuração

A partir da versão 1.3, Winisis incorporou um assistente que torna mais amigável a passagem de parâmetros. Este assistente pode ser chamado através da opçãoConfigurar / Parâmetros do sistema no menu principal.

A janela do assistente possui três abas. Para selecionar uma, clique sobre ela.

Cada aba contém vários quadros de edição para inserção dos valores fornecidos pelo usuário e uma série de caixas de seleção para os parâmetros que devem ser ativados/desativados.

A primeira aba é denominada Sistema e nela são estabelecidos os caminhos correspondentes aos parâmetros 1 a 5 e 141, a base pré-determinada (parâmetro 6), seu modo de abertura, tamanho e armazenamento (parâmetro 124), o código de idioma (parâmetro 101) e o código de perfil (parâmetro 102).



Aba Sistema do menu Configurar/Parâmetros

A segunda aba é Opções. Nela são especificadas a aparência que o Winisis terá, as operações de busca e visualização (parâmetros 103, 104, 105, 135, 980 e 142), a modalidade da atualização do Dicionário (parâmetro 130), a exibição das barras de ferramentas e mensagens (parâmetros 120-121) e os nomes das tabelas de conversão (parâmetros 106-107).

Aba Opções do menu Configurar/Parâmetros

A terceira aba é intitulada Exibição. Determina: o zoom (parâmetro 136), o critério para determinar o tamanho máximo de palavras (parâmetro 131), os símbolos separadores de campos repetitivos (parâmetro 8) e de índices (parâmetro 113), formatação default, tipo de fonte da entrada de dados e da edição de formatos (parâmetros 109 e 111), fonte do dicionário de pesquisa, das mensagens e do sistema e as modalidades utilizadas para exibir a planilha de entrada de dados (parâmetro 123), as mensagens dos erros CDS/Isis Pascal (parâmetro 132).

Aba Exibição do menu Configurar/Parâmetros

Parâmetros do Syspar.par

Parâmetro 0: redirecionamento do SYSPAR.PAR

Este parâmetro é usado para redirecionar o próprio arquivo SYSPAR.PAR para outro drive ou diretório. O valor pode ser:

1. um nome de arquivo completo, o qual pode, opcionalmente, incluir informações sobre drivers e/ou diretórios; por exemplo:

0=c:\isis\mypar\

neste caso, os atuais parâmetros a serem utilizados serão lidos a partir do arquivo mypar no diretório \isis do drive c;

2. ponto de interrogação (?) ou um ponto de exclamação (!) seguidos de um prompt; por exemplo:

0=?digite sua senha:

neste caso, Winisis primeiro mostrará o prompt e então lerá o nome de um arquivo de parâmetros a ser fornecido, via teclado, pelo usuário. Deve-se utilizar o parâmetro desta forma para definir o nome de um arquivo de parâmetros cada vez que o programa for chamado. Caso tenha sido usado um ponto de exclamação (!) em vez de um ponto de interrogação, o texto digitado em resposta ao prompt será representado na tela por asteriscos.

SYSPAR.PAR pode ser redirecionado várias vezes, se necessário. Por exemplo, o arquivo MYPAR do exemplo anterior pode, ele mesmo, conter um parâmetro 0 especificando outro arquivo. Se o arquivo SYSPAR.PAR foi redirecionado e o novo arquivo define qualquer parâmetro já definido em um arquivo de parâmetros processado anteriormente, ele será sobrescrito pelo novo valor. Qualquer parâmetro existente após o parâmetro 0 será ignorado.

Pode-se utilizar o parâmetro 0 para prover proteção aos dados, definindo umSYSPAR.PAR contendo parâmetros genéricos e um arquivo para cada usuário, ou grupo de usuários, contendo parâmetros específicos para cada um.

Por exemplo, um dado sistema poderia ter os seguintes arquivos de parâmetros:

SYSPAR.PAR			JOHN.PAR			DAVID.PAR
--------------	------------------		-------------------
1=\isis\prog\			4=\isis\john\work\		4=\isis\david\work\
2=\isis\menu\			5=\isis\john\data\		5=\isis\david\data\
3=\isis\msg\			6=BIBLIO
101=SP			101=EN
0=!password...

Cada vez que Winisis for iniciado, o arquivo SYSPAR.PAR será lido e fixará os paths dos arquivos de programa, menus e mensagens, bem como o espanhol como idioma default. Após, será exibido um prompt e o usuário deverá entrar sua senha (parâmetro 0). Se a resposta ao prompt for john, Winisis lerá o arquivo JOHN.PAR e fixará os parâmetros restantes, tornará o inglês como idioma default e abrirá automaticamente a base BIBLIO para este usuário.

Parâmetro 1: path dos arquivos de programa

Define o drive e/ou diretório onde ficam armazenadas as aplicações desenvolvidas em ISISPAS (arquivos PAS e PCD). Por default, o sistema assume que eles serão armazenados no diretório corrente. Arquivos de listagem de programas (LST) são armazenados no diretório de trabalho definido no parâmetro 4.

1=c:\winisis\prog\

Parâmetro 2: path dos menus

Define o drive e/ou diretório onde ficam armazenados os arquivos de menus e os arquivos isisuc.tab e isisac.tab do Winisis. Por default, o sistema assume que os arquivos de menus estão no diretório corrente. Serão assinalados para este path todos os arquivos associados com uma base de dados de menu (xxMNyy.*).

2=c:\winisis\menu\

Parâmetro 3: path das mensagens

Define o drive e/ou diretório onde ficam armazenados os arquivos de mensagens do Winisis. Por default, o sistema assume que os arquivos de mensagens estão no diretório corrente. Serão assinalados para este path todos os arquivos associados com uma base de dados de mensagem (xxMSG.*).

3=c:\winisis\msg\

Parâmetro 4: path dos arquivos de trabalho

Define o drive e/ou diretório onde ficam armazenados quaisquer arquivos de trabalho criados pelo Winisis (por exemplo, arquivos de ordenação). Por default, o sistema assume que os arquivos de trabalho devem ser gravados no diretório corrente. Quando o sistema estiver em rede, é importante criar um arquivo de trabalho para cada usuário.

Todos os arquivos não previstos em outros parâmetros serão assinalados para este path (por exemplo, arquivos de impressão).

4=c:\winisis\work\

Parâmetro 5: path da base de dados

Define o drive e/ou diretório onde ficam armazenados os arquivos que constituem uma base de dados Microisis. Por default, o sistema assume que estes arquivos estão no diretório corrente.

5=c:\winisis\data\

Devem ser assinalados para este path os seguintes arquivos de bases de dados (com exceção das bases de dados de mensagens e menus):

- ANY, CNT, IFP, L01, L02, N01, N02, MST, XRF, FDT, FST, FMT (planilhas de entrada de dados), PFT (formatos de exibição), STW e SRT.

Os demais arquivos de bases de dados, tais como HIT, LN?, LK? etc. são assinalados para o path dos arquivos de trabalho especificado no parâmetro 4.

Arquivos de bases de dados podem ser distribuídos em um ou mais diretórios e/ou drivers pelo uso de um arquivo DBN.PAR (ver item 7.2).

Parâmetro 6: nome da base de dados default

Define o nome da base de dados que será aberta automaticamente toda vez que o Winisis for inicializado. Diferentemente da versão DOS, Winisis permite que se especifique mais de uma base de dados neste parâmetro, desde que estejam separadas por vírgula. Por exemplo:

6=cds,thes

Parâmetro 8: separador de campo repetitivo

Define o caracter que será utilizado pelo Winisis para separar as ocorrências de um campo repetitivo durante a entrada de dados. Por default é utilizado o símbolo de porcentagem (%), o qual efetivamente deve ser reservado para esta finalidade. Caso seja necessário entrar o símbolo de porcentagem como dado, é necessário definir outro caracter para ser usado em substituição a ele. Exemplo:

8=&

A versão DOS permite o uso de apenas um caracter neste parâmetro, mas Winisis permite que seja especificada uma cadeia de caracteres. Por exemplo:

8=$$$

Parâmetro 14: suporte para redes

Permite definir como será o tratamento dos Arquivos Mestres e Invertido de uma base de dados de acesso compartilhado. Este parâmetro pode ser definido para cada base a partir do arquivo dbn.par

0 monousuário

1 permite a busca e atualização simultânea do Arquivo Mestre e do Invertido por dois ou mais usuários sobre a mesma base de dados. Ao ativar este parâmetro, Winisis administra o bloqueio correto de registros para garantir a integridade da informação que está armazenada nos arquivos.

2 permite a integridade e atualização do Arquivo Mestre por dois ou mais usuários sobre a mesma base de dados, mas não possibilita a atualização do Arquivo Invertido pelo menos quando um usuário estiver realizando entrada de dados.

Parâmetro 101: idioma default

Composto por um código de duas letras que define o idioma de diálogo inicial a ser utilizado. O idioma inicial é EN (English).

101=BR

Parâmetro 102: menu default

Composto por um código de duas letras que define o menu default a ser utilizado. Com isto, é possível fixar perfis limitados de acesso as bases de dados. O parâmetro fornece as duas últimas letras da base de dados que armazena as opções de menu desejadas. Por default é DF (acesso integral a todas as rotinas). Por exemplo, se nenhum parâmetro 101 ou 102 foi fornecido, a base de dados de menu default será MNENDF. Caso tenha sido especificado apenas 102=SH, então será MNENSH. Neste caso, uma base de dados de menu com este nome deve ter sido criada previamente.

Parâmetro 103: exibição dos detalhes da busca

0 esta janela não é exibida.

1 mostra uma janela de resultados com o progresso da busca.

Parâmetro 104: Dicionário de Termos

0 (default) - mostra o dicionário completo. Porém, quando um campo é selecionado os termos que não ocorrem naquele campo são mostrados em cor cinza.

1 - mostra apenas os termos que ocorrem no campo selecionado.

Parâmetro 105: exibição automática dos resultados da busca

0 (default) – resultados da pesquisa não são exibidos automaticamente, sendo mantido o foco na janela de busca..

  1. - Quando estiver sendo utilizado o modo de Consulta Avançada, os resultados da busca serão exibidos tão logo esta tenha sido concluída. Parâmetros de configuração das janelas do Winisis

Parâmetro 109: fontes do texto da janela Entrada de Dados

A fonte dos textos e o seu tamanho podem ser modificados. Utiliza-se: 109=Nome, número da fonte.

;Fonte Arial, tamanho 12

109=Arial, 24

O tamanho da fonte é opcional. Caso não se coloque, Winisis definirá a 14.

O número indicado será o dobro do tamanho desejado.

Obs.: A modificação pode ser realizada tanto através do menu Configurar/Parâmetros do Sistema, como da própria janela de entrada de dados, botão Opções/Trocar Fonte

Parâmetro 115: pequenas fontes

Define a fonte que será usada para exibir o dicionário de termos e escrever as expressões de busca. Este parâmetro poderá ser configurado através da opção Parâmetros do Sistema.

Parâmetro 116: fontes das Caixas de Diálogo

Define a fonte que será usada para exibir as mensagens de diálogo do Winisis. Configurável através da opção Parâmetros do Sistema.

Parâmetro 117: fontes do Sistema

Define a fonte que será usada em alguns textos do sistema ou para janelas usualmente maiores que as Caixas de Diálogo do Winisis. Este parâmetro poderá ser configurado através do menu Parâmetros do Sistema.

Parâmetro 120: barra de ferramentas

0 - não exibe a barra de ferramentas abaixo dos menus.

1 (default) - exibe uma barra de ferramentas que contém alguns botões que dão acesso rapidamente às características mais usadas de Winisis.

Parâmetro 121: helpbar

0 (default) - não exibe o HELPBAR para os botões da barra de ferramentas.

1 - exibe uma linha de ajuda para cada botão da barra de ferramentas em um HELPBAR no parte de baixo da janela principal.

Parâmetro 123: edição

0 (default) - inicialmente não mostra campos vazios na edição de registros.

1 - inicialmente mostra campos vazios na edição de registros.

Parâmetro 124: janela entrada de dados

Modo, tamanho e posição inicial da janela de entrada de dados (em pixels), onde Modoindica nível de permissão de acesso aos registros.

Sintaxe: 124=modo[, esquerda, superior, direita, inferior]

Valor de modo:
0 (default) - todos os registros disponíveis

1 - permite acesso apenas ao primeiro registro da base indicada no parâmetro 6

Os parâmetros entre [ ] definem posição e tamanho da janela menor quando acionado botão superior direito de seleção de janela

Parâmetro 125: restrição à abertura de bases

0 (default) – não restringe o acesso a bases de dados

1 – o usuário só pode abrir as bases indicadas nos parâmetros indicados nos parâmetros acima de 1000. (ver item 12.5.1)

Parâmetro 130: arquivo invertido

0 (default) - não atualiza automaticamente o arquivo invertido.

1 - atualiza automaticamente o arquivo invertido quando a janela Entrada de Dados é fechada.

Parâmetro 133: tamanho do fonte no Windows

No Windows, pode-se mudar o fonte de sistema para grande ou pequeno. Por default, Winisis é configurado para rodar na configuração de fonte pequena. Se o Windows é configurado para usar fontes grandes, ocorrerão erros na exibição de algumas janelas e controles. Por exemplo, verifique a janela Consulta Avançada para ver se os controles são exibidos corretamente. Se não, é preciso configurar o parâmetro 133 da seguinte maneira:

0 - para fonte pequeno

1 - para fonte grande

Parâmetro 134 : comprimento (em pixels) do campo descrição, na janela entrada de dados

Ex: 134=50

Parâmetro 135: barra alternativa para resultados

Na barra aparece um link STOP, com o número da pesquisa e a quantidade de registros recuperados.

0 (default) - não exibe a barra

1 – a barra é exibida

Parâmetro 137: solicita confirmação quando do fechamento da janela de dados.

0 - não solicita

1 (default) - solicita confirmação

Parâmetro 138: imprimir Índices

Habilita ou desabilita o ícone da impressora no dicionário de termos.

0 - OFF (desabilita)

1 - ON (habilita o botão)

Parâmetro 140: exibir registros apagados logicamente

0 – não mostra o texto do registro. Na barra de mensagens na janela principal é exibido o seu status.

1 (default) – o registro é exibido normalmente, mas também aparece a mensagem na barra de mensagens.

Parâmetro 141: diretório de imagens

Define o diretório das imagens exibidas. Pode ser definido qualquer diretório. Ex.:

141=c:\winisis\bg\

Parâmetro 142: termos destacados

Determina as cores com que o Winisis ressaltará os termos no resultado das pesquisas. A sintaxe será:

142=cor das letras,cor do fundo

A cor do fundo é opcional. Os valores para as letras são os correspondentes à tabela de cores estabelecida no formato. (item 6.5.2)

Parâmetro 144: resultado da pesquisa

Apresentação do resultado de pesquisa com uma única ocorrência, quando parâmetro 980=1.

0 - (default) apresenta sob forma convencional na janela da base de dados

1 - apresenta sob forma de tabela

Parâmetro 148: diretório dos Plug-ins

Especifica a pasta onde estão os plug-ins que serão usados pelo Winisis.

Ex.: 148=c:\winisis\plug-in\

Parâmetro 150: formato da data hora

Especifica a forma de exibição da data/hora

150=MDY (default) exibe no formato dia – mês – ano

150=YMD exibe no formato ano – mês – dia

150=DMY exibe no formato dia – mês – ano

Parâmetro 155: confere a repetição de subcampos na Entrada de Dados

0 - não faz conferência

1 - faz conferência e exibe mensagem de alerta

Parâmetro 156: validação de Campos na Entrada de Dados

0 Valida somente registros modificados

1 Sempre valida os registros

Parâmetro 902: prova de comandos hipertextuais

0 – não exibe mensagem da ação dos comandos

1 – exibe a ação que será executada numa instrução de link.

Parâmetro 980: novo quadro de pesquisa avançada

0 – não exibe a nova caixa de diálogo de pesquisa avançada

1 – é ativada uma nova caixa de diálogo de pesquisa avançada e uma janela nova de visualização da busca.

Parâmetros 1001 a 1005

Winisis armazena aqui o nome das bases de dados abertas nas últimas sessões. Esses nomes aparecerão como opções no menu Arquivo.

1001=c:\winisis\data\base.MST

011.2 Importar registros

Importar registros

A caixa de diálogo Importar Arquivo ISO 2709 é aberta em resposta a opção Importar do menu Base de Dados. Inicialmente, Winisis exibe um caixa de diálogo Abrir Arquivo onde deve ser indicado o arquivo que armazena os registros a serem importados. Selecione o arquivo desejado e clique em OK:

Importação de registros

Nome do arquivo ISO de Entrada

Nome do arquivo a ser importado. Este arquivo deve estar no formato ISO 2709. Quando a tela de importação é aberta, o nome já vem preenchido, mas pode ser alterado.

Primeiro MFN a ser atribuído

Uma vez que este campo tenha sido preenchido, cada registro importado será numerado seqüencialmente começando pelo valor indicado.

Normalmente é utilizado o número 1 com a opção Carregar, e um número maior que o último MFN da base nas opções Inserir e Atualizar.

Etiqueta de entrada contendo MFN

Alternativamente a opção acima, é possível indicar o MFN a partir de um campo no arquivo ISO. Nesse caso, é necessário especificar qual etiqueta (tag) contém o MFN.

FST de reformatação

Este parâmetro é opcional. Se for deixado em branco, os campos do registro de saída manterão sua etiqueta e conteúdos. É possível realizar certo volume de reformatações, fornecendo-se o nome de uma FST.

A FST quando utilizada como arquivo de reformatação, é interpretada da seguinte maneira:

  1. cada linha da FST representa um campo de saída;

  2. a cada campo de saída é atribuída uma etiqueta igual ao identificador de campo definido na linha correspondente da FST;

  3. o formato de extração de dados, apresentado na FST define os conteúdos do campo. Neste formato, deve-se utilizar a etiqueta ISO dos campos conforme definido no arquivo de entrada. Cada linha produzida pelo formato (ou cada elemento, se a FST especifica as técnicas de seleção dos termos de busca 2, 3 ou 4) gerará uma nova ocorrência de campo de saída. O arquivo de palavras proibidas da base de dados receptora, caso exista, será utilizado para processar a técnica número 4 de seleção dos termos de busca.

Por exemplo, para um arquivo de entrada que contivesse os seguintes campos:

100 Autor (repetitivo)

200 Titulo

300 Palavras-chave (repetitivo)

  1. Notas

Uma FST de reformatação deste arquivo poderia ser a seguinte:

l 0 (vl00/) [campo de saída l igual ao campo de entrada 100]

2 0 v200 [campo de saída 2 igual ao campo de entrada 200]

3 0 |<|v300|>| [campo de saída 3 contém palavras-chave encerradas em < ...>, cada uma delas retirada de uma ocorrência do campo de entrada 300].

Arquivo de conversão gizmo

Tabela de conversão de caracteres diacríticos codificados destinada a efetuar interface com bases de dados no formato CDS/ISIS (para computadores de grande porte). Não disponível nesta versão.

Tamanho da linha

Número de caracteres por linha no arquivo ISO. É necessário ser definido para que não ocrra problemas não momento da importação. A versão DOS sempre utiliza 80 caracteres/linha e a versão Windows do CDS/ISIS utiliza 80 como default. Entretanto se você importar para outro programa que utilize mais restrições que o ISO 2709, escolha o valor zero tornando ilimitado o seu tamanho.

Número de caracteres por linha no arquivo ISO. Por padrão, softwares da família CDS/Isis sempre utilizam 80 caracteres/linha. Altere o valor deste campo apenas se estiver importanto de outros sistemas tiver certeza do tamanho da linha do arquivo de origem. O valor zero deve ser usado para arquivos sem quebras de linha.

Separador de subcampos

O separador de registro padrão definido pela ISO 2709 é o caracter ASCII 31. As considerações apresentadas em Separador de campo se aplicam também ao caracter separador de registro.

Opções

Este parâmetro permite uma única opção entre as três disponíveis e especifica como a carga dos registros será feita, como segue:

  • Fundir(M) – (“Merge” ou inserir) Funde os registros do arquivo de entrada com os da base de dados, caso existam. Registros de entrada com mesmo MFN que um registro já existente não são substituídos (a menos que o Microisis receba uma indicação de que devem ser eliminados).

  • Carregar(L) – (“Load”) Base de dados resultante conterá somente os registros recém incluídos. Apaga quaisquer registros existentes na base de dados.

  • Atualizar(U) – (“Update”) Similar a opção M, com a diferença que os registros com o mesmo MFN são substituídos automaticamente.

Obs.: As opções M e U só funcionarão conforme descrito acima, caso tenha sido feita a importação do MFN dos registros. Caso contrário o Microisis simplesmente acrescentará os registros recém chegados ao arquivo mestre e determinará MFN’s seqüenciais iniciando do mais alto já atribuído ou do MFN que tenha sido especificado no campoPrimeiro MFN a ser atribuído.

Quando você tiver completado a caixa de diálogo, clique no botão OK.

011.1 Exportar registros

Exportar registros

A caixa de diálogo Exportar Arquivo ISO 2709 é aberta em resposta a opção Exportar do menu Base de Dados. Inicialmente, Winisis exibe um caixa de diálogo Abrir Arquivo onde deve ser indicado o arquivo que irá armazenar os registros exportados. O arquivo recebe a extensão .iso. Ex.: mar01.iso. Clique em OK:

Exportação de registros

Nome do arquivo ISO de saída

Nome do arquivo que conterá os dados exportados. O arquivo estará no formato padrão ISO 2709. Quando a tela de exportação é aberta, o nome já vem preenchido de acordo com as informações postadas na etapa anterior.

Separador de campo

O separador de campo padrão definido na ISO 2709 é o caracter ASCII 30 (hexadecimal lE). Contudo, se o arquivo a ser exportado for transmitido através de uma linha de comunicação, este caracter pode ser eliminado pelo software de comunicação. Por isso, Winisis permite redefinir o caracter de separador de campo, transformando-o num caracter normal ASCII. O caracter selecionado não pode ter sido utilizado como um caracter de dados na base a ser transmitida, uma vez que Winisis tornará seu uso reservado.

Separador de registro

O separador de registro padrão definido pela ISO 2709 é o caracter ASCII 29 (hexadecimal lD). As considerações apresentadas em Separador de campo se aplicam também ao caracter separador de registro.

Separador de subcampos

O separador de registro padrão definido pela ISO 2709 é o caracter ASCII 31. As considerações apresentadas em Separador de campo se aplicam também ao caracter separador de registro.

Tamanho da linha

Número de caracteres por linha no arquivo ISO. Por padrão, softwares da família CDS/Isis sempre utilizam 80 caracteres/linha. Altere o valor deste campo apenas se estiver exportanto para outros sistemas. O valor zero gera uma saída sem quebras de linha.

Parâmetros de Seleção

É possível exportar uma base no todo, ou apenas partes selecionadas. Há três maneiras de definir os registros a serem exportados:

  • através de um intervalo de registros por MFN, entre o menor e o maior MFN a serem definidos no quadro Limite: do e ao. Por default O Winisis irá exportar do MFN 1 até o último MFN da base de dados;

  • através dos últimos resultados de uma busca, selecionando a opção Resultado da Pesquisa. É possível ainda exportar apenas registros marcados selecionando-se a opção respectiva;

  • através de uma ordem particular de registros, escolhendo a opção P/ Arq. HIT Ordenado.

FST de reformatação

FST de reformatação - Opcional. Se deixado em branco, os registros de saída manterão suas etiquetas de campo e os campos manterão seus conteúdos. É possível realizar uma reformatação fornecendo o nome de uma FST. Neste caso, a FST é interpretada da seguinte forma:

  1. cada linha da FST representa um campo de saída;

  2. a cada campo de saída é atribuída uma etiqueta ISO igual ao identificador de campo definido na linha correspondente da FST;

  3. o formato de extração de dados fornecido na FST define os conteúdos do campo. Neste formato deve-se usar a etiqueta ISO dos campos, conforme definidos na base de dados. Cada linha produzida pelo formato (ou cada elemento, se a FST especificar as técnicas de seleção de termos de busca 2, 3 ou 4) gerará uma nova ocorrência do campo de saída.

Por exemplo, para uma base de dados que contenha os seguintes campos:

1 Autor (repetitivo)

2 Titulo

3 Palavras-chave (repetitivo)

4 Notas

Uma FST de reformatação poderia ser a seguinte:

1 0 MFN [campo de saída 1 contém o MFN]

100 0 (v1/) [campo de saída 100 é igual ao campo de entrada l (é utilizado um grupo repetitivo no formato para que cada ocorrência do campo l saia como uma linha separada)]

200 0 v2 [campo de saída 200 é igual ao campo de entrada 2]

300 0 |<|v3|>| [campo de saída 300 contém palavras-chave encerradas entre <... >, cada palavra-chave sendo tomada como uma ocorrência do campo 3 de entrada].

Como nenhum dos formatos faz referência ao campo 4., este campo não será exportado.

Renumerar registros a partir de

É possível alterar os MFN’s dos registros de saída, iniciando com o valor digitado neste campo. Caso não seja indicado um valor, os registros de saída reterão o MFN original. Esta opção afeta apenas o arquivo ISO de saída. Os registros na base de dados permanecem inalterados. Esta opção somente é eficaz se o MFN constar como um campo no arquivo de saída usando a FST de reformatação (ver acima). Se não se fornecer a FST de reformatação, o MFN não será exportado e, portanto, esta opção fica inativa.

Etiqueta do campo MFN de saída

É possível exportar o MFN como um campo no arquivo de saída, assinalando aqui a etiqueta (tag) de saída. Isso porque o MFN não corresponde a um campo da base de dados. Também é possível exportar o MFN através de uma FST de reformatação.

Arquivo de conversão gizmo

Tabela de conversão de caracteres diacríticos codificados destinada a efetuar interface com bases de dados no formato CDS/ISIS (para computadores de grande porte). Não disponível nesta versão.

Quando você tiver completado a caixa de diálogo, clique no botão OK.

011 Exportação / Importação De Registros

Exportação

Permite extrair a totalidade ou apenas uma parte de uma base de dados de modo a transmiti-la para outros usuários. Também é possível realizar reformatações de registros. A função exportar é ativada através do menu Base de Dados.

Importação

Assim como se pode exportar registros para outras bases de dados, pode-se importar registros, utilizando o padrão ISO 2709. Também é possível realizar reformatações de registros. A função Importar é ativada através do menu Base de Dados.

010.1 Alterações Globais

Utilizando as ferramentas de alterações globais é possível editar o conteúdo de vários registros de uma só vez. Isto é muito útil na manutenção da consistência da base, uma vez que permite corrigir erros de entrada de dados com relativa facilidade.

Estas facilidades estão disponíveis a partir da opção Utilitários do menu principal:

Alterações globais

Adicionar Global (Intervalo)

Permite adicionar um campo com o conteúdo especificado para um determinado grupo de MFN’s ou toda a base. Escolha a opção Adicionar Global (intervalo)

Janela adicionar global

  • Limite de MFN (de/até): grupo de registros que será modificado. Por default, Winisis preenche este campo com 1/32000. Pode ser especificado qualquer intervalo válido;

  • Parâmetro da pesquisa: usa resultados da pesquisa como limite da adição global. Permite que somente os registros marcados sofram alteração;

  • Registros marcados: seleciona somente os registros marcados na pesquisa;

  • Tag do campo: etiqueta do campo a ser modificado;

  • Adicionar se não presente : acrescenta o campo, caso não esteja definido na base;

  • Conteúdo do campo: Texto a ser incluído no registro. Caso o campo indicado seja repetitivo, o conteúdo será acrescentado como uma nova ocorrência. Caso contrário, será acrescentado ao final do conteúdo já existente.

Clicando em OK, uma janela de progresso da ação será aberta e quando terminar, clique no botão Concluído.

Apagar Global (Intervalo)

Permite apagar um campo especificado para um determinado grupo de MFN’s ou toda a base. A função apagar global possui os mesmos comandos da adição global, porém deleta campos.

Obs.: se você deixar a caixa de limite do MFN em branco, todas as ocorrências do campo especificado abaixo serão removidas.

Lembre-se que se você quiser deletar apenas certas palavras de um registro, use a opção Substituir Global.

Substituir Global

Permite localizar e substituir um texto por outro, sendo muito útil para alterar o conteúdo de lotes de registros. Você pode limitar campos específicos, sucampos ou ocorrências de um campo. Trata-se de um programa altamente sofisticado, mas a base de dados pode ficar prejudicada caso você cometa erros na substituição.

No exemplo da figura abaixo está representada uma conversão de pontuação em um identificador de subcampo: o campo 70 é destinado ao autor e você quer substituir uma vírgula por ^b no primeiros 100 registros.

Substituir global

  • Limite MFN (de/até): grupo de registros que será modificado;

  • Parâmetro de pesq.: modifica apenas os registros recuperados em uma consulta. Caso esta opção seja selecionada, é necessário escolher entre uma pesquisa já realizada na caixa abaixo. Opcionalmente pode-se determinar que somente registros marcados sejam alterados;

  • Registros marcados: seleciona somente os registros marcados na pesquisa;

  • Texto a encontrar: texto existente na base que deve ser modificado;

  • Novo texto: texto que será incluído no registro;

  • Maiúsculas/Minúsculas: será modificado apenas o texto que corresponda exatamente ao que foi digitado na caixa Texto a encontrar;

  • Apenas palavras completas: para que o texto seja alterado, é preciso que seja uma palavra isolada. Caso contrário, serão alteradas todas as ocorrências, independentemente de sua posição no texto;

  • Perguntar antes de substituir: emite uma mensagem antes de substituir;

  • Tags: Tag do campo a ser modificado;

  • Subcampos: código do subcampo, se houver;

  • Número de acertos: Número de ocorrências do campo.

Adicionar Campo (Consulta)

Idêntico a Adicionar global (intervalo), mas restringe o limite de MFN’s a uma consulta selecionada pelo usuário.

Clique em Parâmetro de pesquisa e clique no botão da combo box e escolha a pesquisa.

Escolha o tag e dê OK.

Apagar Campo (Consulta)

Idêntico a Apagar global (intervalo), mas restringe o limite de MFN’s a uma consulta selecionada pelo usuário.

Clique em Parâmetro de pesquisa e clique no botão da combo box e escolha a pesquisa.

Escolha o tag e pressione OK.

010 Utilitários Avançados

Por ser multi-usuário, Winisis utiliza três classes de bloqueio, necessárias para permitir a atualização simultânea de uma base de dados por mais de um usuário. Destes bloqueios, que estão registrados no Arquivo Mestre são:

  • Bloqueio de entrada de dados: indica que pelo menos um usuário está registrando dados. Quando está ativo, impede que se realize uma atualização do Arquivo Invertido (tanto a atualização como geração do Invertido pode ser realizada somente quando não se está entrando dados na base). A indicação deste tipo de bloqueio está armazenada no campo MFCXX2 do registro de controle do Arquivo Mestre e conta o número de usuários que estão realizando entrada de dados em uma base ao mesmo tempo;
  • Bloqueio de registro: indica que está atualizado um registro e impede que seja modificado por outros usuários. Este tipo de bloqueio está armazenado no campo MFRL do registro.
  • Bloqueio de escritura exclusiva: indica que está sendo realizada uma operação que requere um acesso de escritura exclusiva à base de dados. Quando está ativo, impede a entrada de dados e outras opções que requerem acesso de escritura exclusiva. Este tipo de bloqueio está indicado no campo MFCXX3 do registro de controle do Arquivo Mestre: existe bloqueio se este campo for maior que zero.

Quando um usuário não puder efetuar uma ação por causa de um bloqueio, o usuário será informado por uma mensagem.

Normalmente um bloqueio desaparece automaticamente quando já não é necessário, mas caso isto não ocorra, deve-se recorrer às opções de desbloqueio já descritas.

A janela visualizada ao acessar o menu Utilitários/Utilitários avançados é a seguinte:

Utilitários avançados

Se a coluna de status indicar que há algum bloqueio ativo na base de dados, clicar no botão correspondente a confirmar a opção.

09 Impressão

Permite a impressão de relatórios personalizados, bem como a saída do conteúdo dos registros para arquivos de texto.

Abre a partir da opção Base de Dados/Imprimir do menu principal ou a partir do botão na barra de ferramentas da Janela Principal. Fornece parâmetros necessários para diferentes saídas impressas ou em arquivos ASCII.

A tela de impressão conta é composta por cinco abas:

Geral

Permite selecionar o que será impresso, onde fazê-lo, bem como definir o formato de impressão desejado:

Impressão - aba Geral

Onde:

Elemento

Nome

Função

Grupo de Seleção Imprimir

Optar entre a visualização que estiver ativa na janela Base de Dados e uma série de MFN a ser digitada na caixa de edição ao lado. Quando a opção Atual Visualização estiver ativada, pode-se ainda determinar somente a impressão dos registros marcados.

Combo Box Saída Para

Permite direcionar a saída para:
impressora default;
arquivo ASCII (ANSI);
arquivo ASCII (OEM);
arquivo postscript.

Caixa de Opção Formato Pré-Definido

Indica a utilização de um formato já existente na base

Caixa formato

Seleciona entre os formatos definidos na base

Botão Salvar

Ativa a caixa de diálogo Salvar Arquivo para que o usuário salve o novo formato definido

Caixa de edição

Edita o formato selecionado ou cria novo

Botão Carregar

Carrega arquivo de parâmetros de impressão

Botão Salvar

Salva o conjunto de parâmetros de impressão ativo

Botão Visualizar

Apresenta a primeira página do relatório

Botão Imprimir

Imprime

Botão Fechar

Fecha a caixa de diálogo Imprimir – Setup

Botão Ajuda

Abre arquivo Isishlp.hlp no tópico Print Dialog Box

Série de MFN: imprime a série de MFNs digitada pelo operador

Exemplo.

N – imprime somente o mfn n

-n – imprime todos os registros até o n

n- - imprime todos os registros após o n

n-m imprime todos os registros do MFN n até o m

Apresentação

Utilize as funções desta aba para personalizar seu relatório e inserir títulos, cabeçalhos e rodapés.

Três linhas podem ser definidas como título, cabeçalho ou rodapé e podem ser impressos na primeira ou em todas as páginas.

É possível alinhar (esquerda, centralizada ou direita), alterar fonte: tamanho e estilo (itálico, negrito ou sublinhado). Na caixa inferior da tela as opções mencionadas acima são visualizadas.

Impressão - aba Apresentação

Margens

Permite configurar a página para impressão, definir tamanhos das margens e quebras de página.

Impressão – aba Margens

Layout

Permite definir impressões em colunas (máximo 6), ignorar as informações definidas nas abas Apresentação e/ou Ordenação, e inserir número de páginas.

Impressão – aba Layout

Ordenação

Permite que sejam definidas chaves de ordenação para impressão de relatórios em ordem alfabética.

Impressão – aba Ordenação

Os seguintes itens devem ser definidos:

  • Número de Cabeçalhos: número de cabeçalhos que se deseja, sendo que Winisis permite no máximo 4;

  • Arq. Stopword: deve ser especificado se, em qualquer FST de chave de ordenação, for usada a técnica 4 (palavra por palavra);

  • Formato do cabeçalho: o Microisis utiliza um formato default para apresentar os cabeçalhos, mas o usuário tem a opção de definir um novo formato; é bom lembrar que não se trata de um campo, motivo pelo qual [tag] deve sempre indicar a linha deFST da planilha de ordenação;

  • Tamanho da primeira, segunda, terceira e quarta chaves de ordenação: quantos caracteres do campo o Microisis deve utilizar para ordenar os cabeçalhos; o limite para as 4 linhas é 256 caracteres;

  • Indicador de processador de cabeçalho: valores possíveis:

  1. produz uma chave de ordenação simples, ou seja, o registro será impresso apenas uma vez sob a primeira ocorrência do campo utilizado como cabeçalho e o cabeçalho será impresso apenas uma vez;

  2. produz uma chave de ordenação múltipla, ou seja, o registro será impresso sob cada ocorrência do campo repetitivo utilizado como cabeçalho e o cabeçalho será impresso apenas uma vez;

  3. produz uma chave de ordenação simples, ou seja, o registro será impresso apenas uma vez sob a primeira ocorrência do campo utilizado como cabeçalho e o cabeçalho será impresso antes de cada registro a ele subordinado;

  4. produz uma chave de ordenação múltipla, ou seja, o registro será impresso sob cada ocorrência do campo repetitivo utilizado como cabeçalho e o cabeçalho será impresso antes de cada registro a ele subordinado.

  • FST para a primeira, segunda, terceira e quarta chaves de ordenação: formato de extração do cabeçalho, definido da seguinte forma:

tag do cabeçalho: técnica de indexação formato, onde

tag do cabeçalho: número que identifica o cabeçalho;

técnica de indexação: número que identifica a técnica de indexação a ser utilizada na ordenação dos cabeçalhos:

0 campo no todo;

1 cada subcampo;

2 delimitadores [< >];

3 delimitadores [/ /];

4 palavra por palavra;

formato: linguagem de formatação do Winisis.

08 Dicionário De Termos

Abre a partir da opção Abrir Dicionário do menu Exibir ou nos botões identificados com um livro aberto . Consiste numa lista de todos os termos indexados a partir da FSTda base.

Dicionário de Termos

Onde,

Elemento

Nome

Função

Combo Box

Permite selecionar um campo específico. Neste caso, os termos que pertençam a outros campos aparecerão em cinza

Caixa de Edição

Digitando um ou mais caracteres a lista de termos é posicionada adequadamente (por exemplo, ao ser digitado F, é mostrado os termos que começam com F)

String Grid

Lista os termos do dicionário em ordem alfabética crescente. O número à esquerda indica quantas vezes o termo aparece na base de dados

Botão de Navegação

Rola o conteúdo da lista de termos para cima. Nada acontece se a lista estiver posicionada no primeiro registro

Botão de Navegação

Rola o conteúdo da lista de termos para baixo. Nada acontece se a lista estiver posicionada no último registro

Botão imprimir

Imprime o dicionário

Em sua instalação, o Winisis possui, na janela do dicionário de termos, entre os botões de navegação, o botão Imprimir Dicionário de Termos, como visto acima.

O clique neste botão abre a tela de impressão do dicionário, que contém as seguintes opções:

Imprimindo o dicionário

Onde:

Opções

Descrição

Imprimir termos iniciados por

Parâmetro inicial que indica a partir de que texto do dicionário será iniciada a extração.

Número de termos para extração (máx.)

Delimita o número máximo de termos que poderão ser extraídos nesta listagem.

Imprimir número de postings

Se habilitado, faz com que sejam impressos, ao lado de cada palavra extraída, o número de vezes que ela aparece na base de dados.

Tags

Seleciona as linhas da FST que deverão ser consideradas na geração da listagem.

Saída para

Indica se o arquivo gerado deverá ser enviado para a impressora, ou para um arquivo. Neste último caso, será gerado um arquivo texto com o nome da base de dados e a extensão .dct, que ficará armazenado no diretório de trabalho do Winisis.

07.6 Operadores

Operadores booleanos

Sintaxe: [texto1][operador booleano][texto2]

Parâmetros de [operador booleano]:

* - ‘E’ lógico: recupera registros que obrigatoriamente contenham [texto1] E[texto2];

+ - ‘OU’ lógico: recupera todos os registros que contenham somente [texto1], todos os registros que contenham somente [texto2] e todos os registros que contenham [texto1] e [texto2];

^ - ‘NÃO’ lógico: recupera todos os registros que contenham [texto1] mas NÃOcontenham [texto2].

Exemplos:

Consulta 3: administracao * arquivologia

P= 3 administracao

P= 1 arquivologia

T= 0 - #4: administracao * arquivologia

T= 0 - #3: #4

Consulta 4: administracao + arquivologia

P= 3 administracao

P= 1 arquivologia

T= 4 - #5: administracao + arquivologia

T= 4 - #4: #5

Consulta 5: administracao ^ arquivologia

P= 3 administracao

P= 1 arquivologia

T= 3 - #6: administracao ^ arquivologia

T= 3 - #5: #6

Operadores de proximidade

Sintaxe: [texto1][operador de proximidade][texto2]

Um campo indexado no todo (parâmetro 0 da FST), é considerado um termo único de pesquisa mesmo que composto por mais de uma palavra.

Parâmetros de [operador de proximidade]:

  • . - Ponto: indica o número máximo de termos que pode haver entre [texto1 e [texto2];

[texto1].[texto2]: um ponto entre [texto1] e [texto2] indica que os termos da pesquisa devem estar adjacentes, ou seja, não pode haver outro termo entre eles;

[texto1]. .[texto2]: dois pontos entre [texto1] e [texto2] indicam que pode haver no máximo uma palavra entre eles;

[texto1]. . .[texto2]: três pontos entre [texto1] e [texto2] indicam que pode haver no máximo duas palavras entre eles;

Como regra geral, o número máximo de termos que pode haver entre os elementos da pesquisa é sempre uma unidade menor que o número de pontos colocados entre eles.

Exemplos:

Consulta 36: gerencia . . . qualidade

P= 1 gerencia

P= 1 qualidade

T= 1 - #37: gerencia . . . qualidade

T= 1 - #36: #37

Resultado da pesquisa:

0007

Carvalho, Murilo

Gerencia da qualidade total : estratégia para aumentar a competitividade da

empresa brasileira

Porto Alegre : Letras e Letras, 1996

descritores:

ADMINISTRAÇÃO

  • $ - Cifrão: indica o número exato de termos que pode haver entre [texto1 e [texto2];

[texto1]$[texto2] um cifrão entre [texto1] e [texto2] indica que os termos da pesquisa devem estar adjacentes, ou seja, não pode haver outro termo entre eles;

[texto1]$ $[texto2] dois cifrões entre [texto1] e [texto2] indicam que pode haver exatamente uma palavra entre eles;

[texto1]$ $ $[texto2] três cifrões entre [texto1] e [texto2] indicam que pode haver exatamente duas palavras entre eles;

Como regra geral, o número exato de termos que pode haver entre os elementos da pesquisa é sempre uma unidade menor que o número de cifrões colocados entre eles.

Exemplos:

Consulta 43: editor de textos $ $ software

P= 1 editor de textos

P= 1 software

T= 1 - #44: editor de textos $ $ software

T= 1 - #43: #44

Resultado da pesquisa:

0003

Hoffman, Paul

Microsoft Word for Windows 2 : guia do usuario

Sao Paulo : Makron Books, 1993

descritores:

EDITOR DE TEXTOS; INFORMATICA; SOFTWARE

Operadores de ocorrência

Sintaxe: [texto1]([operador de ocorrência])[texto2]

Estes operadores são tipos mais restritivos que o operador lógico (*) e particularmente úteis para busca com linguagem natural. O correto funcionamento destes operadores depende muito do projeto da base de dados. (G) e (F) são equivalentes quando aplicados a campos não repetitivos

Parâmetros de [operador de ocorrência]:

  • G - seleciona registros que contenham [texto1] e [texto2] no mesmo campo (todas as ocorrências de um campo repetitivo são tratadas como uma única entidade);

Exemplo:

Consulta 55: sucesso(g)supervisor

P= 1 sucesso

P= 1 supervisor

T= 1 - #56: sucesso(g)supervisor

T= 1 - #55: #56

Resultado da pesquisa:

0001

Cusins, Peter

Gerente de sucesso

Be a successful supervisor

Sao Paulo : Clio, 1994

descritores:

ADMINISTRACAO; AUTO AJUDA; CHEFIA; LIDERANCA

  • F - seleciona registros que contenham [texto1] e [texto2] no mesmo campo ou ocorrência individual de um campo repetitivo.

Exemplo:

Consulta 12: positive(f)managers Resultado da pesquisa:

P= 1 positive 0002

P= 1 managers Clements, Phil

T= 1 - #13: positive(f)managers Seja positivo : guia para executivos

T= 1 - #12: #13 Be positive : a guide for managers

São Paulo : Clio, 1994.

descritores:

ADMINISTRACAO; ATITUDE

Prioridades

A expressão de busca é lida da esquerda para a direita e apresenta a seguinte ordem de prioridade:

Mais prioridade

$ .

(F)

(G)

* ^

+

Menos prioridade

Exemplo:

administraçãoo+atitude*chefia+liderança

A ordem de execução da expressão de busca é a seguinte:

atitude*chefia+administração+liderança

Esta ordem pode ser alterada mediante a utilização de parênteses, tal como numa expressão matemática.

Exemplo:

(administração+atitude)*chefia+liderança

Winisis desloca a prioridade para a expressão encerrada entre os parênteses, de modo que a pesquisa ocorre desta forma:

administração+atitude é executado primeiro e o resultado é cruzado com CHEFIA. Apenas os registros que contém ADMINISTRACAO E CHEFIA OU ATITUDE E CHEFIA são agregados aos que contém LIDERANCA.

Recuperação Através De Texto Livre

Utilizada para pesquisar partes de palavras, verificar a existência de conteúdo em campos, campos não indexados ou quando é necessário realizar comparações numéricas.

Operador de Ocorrência

Sintaxe: ? [n] [operador](v[tag])

? informa ao sistema que se trata de pesquisa em texto livre; deve estar na primeira coluna;

[n] número de pesquisa realizada anteriormente (opcional);

Parâmetros de [operador]:

P = recupera registros que contenham pelo menos uma ocorrência no campo ou subcampo indicado;

A = recupera registros que não contenham ocorrência no campo ou subcampo indicado;

Quando não é indicado um número de pesquisa anterior, o Winisis verifica registro por registro, selecionando aqueles que satisfazem os requisitos indicados por [operador](v[tag]). Caso seja necessário cruzar duas expressões de busca deve-se grafar os operadores booleanos por extenso: AND, OR, NOT.

Exemplos:

?p(v20) - Recupera todos os registros que possuam algum conteúdo no campo 20.

?a(v20) - Recupera todos os registros que possuam o campo 20 completamente vazio.

Operador relacional

Sintaxe: ? *MFNinicial,MFNfinal v[tag][operador][condição]

? informa ao sistema que se trata de pesquisa em texto livre; deve estar na primeira coluna;

*MFNinicial,MFNfinal indica o limite inicial e final de MFNs onde deverá ser realizada a pesquisa

v[tag] Onde tag indica o campo desejado na busca. Lembre-se que v0 (v-zero) significa que o termo pode ser utilizado em qualquer campo

[operador]

= - igual;

<> - diferente que;

< - menor que;

> - maior que;

<= - menor ou igual a;

>= - maior ou igual a;

: - contém (exclusivo para cadeias de caracteres).

[condição] – Expressão ou cadeia de caracteres

Exemplos:

?mfn>3 – recupera todos os registros cujos MFN’s sejam maiores que 3.

? *10,125 v0:’Petrarca’ - recupera todos os registros existentes entre os MFNs 10 e 125 que contenham a cadeia de caracteres “Petrarca”.

07.5 Busca em campos específicos

Sintaxe: [texto]/([tag1],[tag2],...,[tagn])

Caso esta opção não seja especificada, o Winisis realiza a busca em todas as ocorrências dos campos indexados. Em alguns casos, é importante especificar em que parte do registro a informação foi armazenada para restringir o número de registros e aumentar o nível de relevância dos mesmos.

No exemplo abaixo é feita uma pesquisa no campo título (v20). Embora o termo pesquisado exista nos índices, nenhuma ocorrência relevante foi recuperada.

Exemplo:

Consulta 2: administração/(20)

P= 3 administração

T= 0 - #2: administração

07.2 Recuperação Através De Índices

A maneira como os índices são construídos é fator crítico de sucesso na recuperação das informações. Caso um campo tenha sido definido como “indexar no todo” (parâmetro0 da FST) e a pesquisa seja feita palavra por palavra o Winisis não terá como localizar os registros desejados. Este tipo de erro também ocorre quando se utiliza a técnica de recuperação por índices em campos não indexados.

07.1 Visualização Dos Resultados Da Pesquisa

Por defualt, Winisis exibe os resultados na pesquisa na Janela Base de Dados, fixando a visualização nos registros recuperados. Para exibir toda a base novamente, é necessário selecionar Exibir / Base de Dados, no menu principal.

Visualização em tabela

Opcionalmente, os registro podem ser exibidos numa tabela, conforme a figura abaixo. Para ativar esta visualização o parâmetro 980 do syspar.par deve ser igual a 1.

Clicando em OK, o modo tabular de visualização dos resultados da pesquisa é ativado, exibindo uma lista de consultas formuladas durante a sessão atual:

Visualização do resultado da pesquisa no modo tabular

Ao clicar sobre um dos elementos da coluna da esquerda, Winisis exibe na coluna da direita o registro correspondente.

Para selecionar um registro clique no ícone (+) ao lado esquerdo do número do registro.

A ordenação dos registros de maneira ascendente ou descendente pode ser feita através dos botões .

Para sair desta visualização, clique em . A janela base de dados será ativada (modo padrão de visualização dos resultados).

Próxima página »